Blog lésbico - Lez Femme, Portal de notícias do mundo lésbico em Fortaleza, Ceará. Notícias GLS do brasil

Exclusivo: Quixeramobim terá primeiro casamento homoafetivo do Sertão Central

Tudo que elas querem é apenas ter o direito de oferecer garantias reciprocas.

O município de Quixeramobim está em iminência de sediar mais um fato histórico, trata-se do primeiro casamento homoafetivo que será registrado na região do Sertão Central cearense. E para a surpresa será entre duas mulheres que recentemente solicitaram o direito a Justiça da Comarca de Quixeramobim.

Com exclusividade a reportagem do portal Revista Central, entrevistou Marileide Rocha Sousa e Kamila Ferreira Pinheiro que entrarão para a história da região pela coragem e exemplo de luta contra o preconceito fluente nos dias atuais.

A informação foi dada por um leitor através do Fale Conosco, e quando entramos em contato as mesmas não se intimidaram em expor a iniciativa para a sociedade, “não temos o que esconder e tampouco queremos ser espelho. Buscamos apenas um direito que a lei nos ampara”.

A nossa equipe foi recebida na residência onde as duas moram na tarde de ontem,16, e durante cerca de uma hora elas revelaram detalhes de como iniciou o relacionamento amoroso que agora possivelmente tornará em casamento garantido pelo Estado.

Detalhes

Marileide Rocha Sousa (Mary), 37 anos, é professora de Inglês, já teve uma relação estável durante 11 anos, neste estágio adotou dois filhos, sendo uma garota de 8 e um garoto de 11 anos. O casal mora com ela e com a parceria, inclusive tem conhecimento do assunto, porque ela mesma resolveu contar aos filhos e garante que eles aceitaram sem nenhuma restrição.

Kamila Ferreira Pinheiro, 26 anos, Consultora Empresarial, disse que já namorou sério com homens, mas percebeu que a sua “praia” era outra. Garante que está vivendo a melhor fase de sua vida e ao lado da pessoa amada.

As duas estão de alianças após terem registrado um contrato de União Homoafetivo no cartório Queiroz Rocha, no dia 8 de setembro de 2011. No contrato há uma cláusula em que ficou estabelecido que pertencerão à ambas, em condomínio, todos os bens e direitos requeridos na convivência, presente ou futuro, sendo está aquisição onerosa ou gratuita. O casamento será na comunhão universal de bens.

Relação

Mary contou que o relacionamento das duas está com quase dois anos e que sempre tiveram vontade de casar-se, com objetivo de garantir o futuro de uma das duas em caso de doenças ou morte, mas por ter o direito negado pelo Estado, conviviam em união estável e que após a decisão do STF, que decidiu garantir aos homossexuais a certidão de casamento, não pensaram duas vezes e foram nos dias seguintes ao cartório, mas receberam a resposta de que precisam de um tempo para se inteirarem da decisão. Passado alguns meses elas retornaram e receberam resposta positiva que podiam registrar o Contrato, que também pede que seja convertido em Certidão de Casamento pela Justiça no regime de comunhão universal de bens.

Hoje as duas moram em residência própria no bairro Edmilson Correia de Vasconcelos, casa mobilizada, aproveitaram e compraram também um carro para a família.

Opinião Familiar

Ao serem questionadas a professora Mary fez questão de destacar: “a minha família é nota 1.000, minha mãe, pai, irmãos estão apoiando e demonstram um grande carinho por Kamila”, destacou. Ao perguntar a Kamila  sobre a sua mãe, preferiu dizer que vive o melhor momento de sua vida ao lado de sua amada.

Opinião pública

“Tudo que eu quero é ser feliz, portanto, sobre a opinião de pessoas que não tem nada haver, em nada vai mudar”, destacou Mary, contando ainda que nos locais públicos não ficam se beijando, não por vergonhosa, mas pra evitar eventuais constrangimentos de pessoas que não estão inseridas na realidade do mundo moderno.

Opinião dos Filhos

“Meus filhos estão muito bem orientados, caso alguém queira saber do assunto, eles vão mandar falar comigo. Sobre a Kamila eles gostam muito dela e ela deles”. Sobre uma possível adoção de outra criança, elas ainda não pensaram na ideia.

Dia do Casamento

O casal está preparado para um eventual indeferimento no pedido na primeira instância, caso aconteça, elas pretendem recorrer ao Tribunal de Justiça do Ceará, mas acreditam que tudo será resolvido em seu município. E neste dia haverá festa, pois será selado um feito histórico na região e o portal Revista Central já foi convidado a registrar o ato.

Para Kamila Ferreira e Marileide Rocha o mais importante de tudo isso não é selar no cartório um casamento, mas o respeito e o sentimento verdadeiro que existem entre as duas. Elas acreditam que a partir da iniciativa de registrar, para garantir os direitos que as leis asseguram a todo casal, outros homossexuais que vivem na mesma situação, também tomarão a mesma iniciativa, “não queremos ser espelho para ninguém, mas com certeza outros casais seguirá o mesmo exemplo”.

No fim da entrevista as duas exibiram o contrato para as lentes do portal Revista Central, demonstrando a sua felicidade, bem como as alianças de compromisso.

Jackson Perigoso
Reportagem
Chico Javali
Fotos

 

@com informações de Revista Central

1 Comentários

  1. bya

    A felicidade é um fruto que se colhe da felicidade que se semeia. Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe. A vida só pode ser compreendida olhando-se para trás; mas só pode ser vivida, olhando-se para frente , felicidades pra vcs 

Deixe uma resposta

OCTO DBA - Criação de Sites Fortaleza - Ceará